Genética Picture

English Chinese Spain French Italian Dutch Norwegian Swedish Portuguese Taiwanese

Problemas na raça

  • Recolha todas as informações sobre a doença! Em que idade os primeiros sinais aparecem num gato afetado? Como a doença se manifesta nos gatos? É uma doença séria? Existe cura?
  • Talvez seja conhecida a forma como ela é herdada? É um gene dominante, recessivo e único, ligado ao sexo, poligênico?
  • Existem formas de testar os gatos para essa doença, para que os portadores do gene/ dos genes sejam rapidamente identificados?
  • Tente descobrir o percentual aproximado da população afetada!

Se trata-se de uma doença séria, que afeta bastante e muitos gatos na mesma raça, pode ser útil criar um programa de saúde para lidar melhor com o problema. Como um programa de saúde pode ser organizado vai depender de como as respostas acima foram respondidas. O mais importante num programa de saúde é divuldar as informações. Devemos divulgar informações sobre os sintomas da doença, seu desenvolvimento, herança, e possíveis testes disponíneis. Isto pode ser feito atravéz de revistas, livretos, websites, reuniões, associações e seminários. Frequentemente existe algum ressentimento entre os criadores no momento de lidar com os problemas de saúde da raça, ou até admiti-los. Isto não ocorre frequentemente porque os cridores não se preocupam se o gato fica doente ou não, mas sim por medo do desconhecido e falta de conhecimento. Se não sabemos como lidar com os problemas nos sentimos mal ao falarmos deles. Muitos têm medo das reações de panico de outros criadores, que os outros peçam que uma linha inteira seja esterelizada se a doença aparecer. Infelizmente esse medo não é relevante na maior parte dos casos. Devido a mesma falta de conhecimento existem incidentes quando criadores querem tomar decisões drásticas para resolver rapidamente o problema presente na raça. É loucura enterrarmos nossa cabeça na areia e fingirmos que não existem problemas. Existem apenas dois tipos de reação de pānico. E nenhuma delas beneficia os gatos, é claro. As medidas tomadas devem ser razoáveis e na proporção certa para a dificuldade do problema. Em nenhuma circusntância devemos selecionar de forma dura mais de 1/3 da população de gatos e coloca-los fora de reprodução devido ao mesmo problema. Se tomamos medidas drásticas o programa de reprodução como um todo será muito reduzido, e isso poderá causar ainda MAIS problemas genéticos na população devido a redução da população reprodutora. E isso é exatamente o oposto do que queremos!

Logo, a criação de um programa de saúde é baseada em informação, informação e mais informação!

Então também devemos registrar os casos da doença e os resultados de testes. Se alguém decide fazer isso, deve considerar deixar esse registro aberto para que todas as pessoas possam acessar os resultados. Esse é um fator conclusivo para que o programa dê bons resultados. Falta de abertura vai causar somente fofoca e especulações, enquanto fatos normalmente acabam com qualquer discussão desse gênero. E em seguida toda energia deve ser concntrada em algo útil para resolver o problema.

Continuar...